sexta-feira, 13 de março de 2015

Qual Meu Proposito????


Por muitos anos (e ainda hoje) eu estava paralisada com o medo de fazer a escolha errada sobre o que fazer com a minha vida. Devo ir para a faculdade de Engenharia ou fazer Administração Pública mesmo, seguir carreira técnica, que pós-graduação fazer, que eu deveria me casar, deve me mudar para lá, deve dizer sim ou não ... Como você descobrir a resposta certa?
Eu não tenho certeza que existem muitas "respostas certas", exceto a confiança, a amar, ter fé e esperança. Mas...Uma coisa sei. Não deixe o medo paralisar você, afinal de contas, "Nós podemos ter toda certeza de que cada detalhe em nossa vida de amor a Deus é trabalhado em algo bom." Romanos 8:28.
E esse é o seu plano. Para restaurar, resgatar, superar, curar, trazer esperança, amor, colocar de volta juntos, construir, abrir os olhos, abrir os ouvidos, despertar os corações e os espíritos ao Seu amor e extensão de energia. Para trazer o bem do caos.
AME quem você é, amar a Deus e amar os outros com a sua vida ... Ele vai trabalhar os detalhes com você, como você vai. Passo a passo, dia a dia, momento a momento.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Não é Romance



Romance é o substantivo errado para denominar essas relações juvenis entre pessoas que estão em formação. Do mesmo modo que é errado acreditar nas infinitudes de uma vida a dois quando a vida sozinho já é pesada demais para ser dita.

E aí temos essa história de amor, a descoberta dos limites do próprio corpo, revelações do sexo, depravações sociais agradáveis, transgressões morais que ocorrem entre dois pares de mãos.

Nessa época nada pode ser levado a sério; quase todas as palavras, sempre poderosas, independente da idade, são princípios de uma personalidade que se forma ao longo de lágrimas, repreensões, queixas.

Então não venham dizer, a mim, a Deus ou ao Diabo, que não interessa a ninguém como o relacionamento dos dois jovens transeuntes não interessa; ou que o drama de uma sobrancelha mal feita de uma jovem não é importante. Se isso não for, o que mais será?
Que romance é a palavra errada, não tenho dúvidas.

Porém, quem há de quebrar os paradigmas estabelecidos desde Romeo e Julieta e dirá, aos amantes da era virtual, que a morte agora é muito mais sentida e vivenciada a cada clique ou descurtida, em guerras virtuais intermináveis?

Hoje as fotos não desaparecem – existe sempre um backup. Da mesma forma que as lembranças.