terça-feira, 6 de agosto de 2013

As Máquinas de Tortura



Fico pensando o quanto é doloroso esse mundo feminino e o quanto é essencial, não pela dor provocada e sentida, mas pela necessidade do embelezamento, inalienável. O mundo feminista, mais machista do que se pensa, é praticamente um parque dos horrores onde tudo pode ser resumido ao calor, ao ato de puxar e passar.

O calor ajuda a firmar certos produtos no cabelo e, para conseguir a temperatura ideal, o demônio inventou os aparelhos de salão de beleza, como o secador e a chapinha, que além de promover a dor pelo calor, ainda consomem energia demasiadamente. Esses aparelhos provocam o descascamento do couro cabeludo, a queima da pele, a dor insana provocada pelo ato de ficar bela para si e para outrem, não necessariamente nessa ordem.
Puxa-se o cabelo, a pele, a  roupa. Para lá e para cá. De cima para baixo e no inverso, anverso, da frente para trás e ao contrário. Nesse puxa-puxa, ninguém sabe onde vai parar nada.

É horrível. É simplesmente torturante, embora necessário principalmente para algumas criaturas que realmente precisam do embelezamento que a natureza não deu gratuitamente.


Certamente os homens, por experiência própria, não aguentariam todas essas torturas necessárias. Nem um dia de cólica – apesar de não ter sentido na pele, graças a Deus! – tampouco um parto. Um parto! Já de pensar dá uma dor inconsolável.
Claro que a natureza preparou-as para tudo isso e desde o nascimento todas são talhadas para suportar essas pequenas dores e as demais do dia a dia, mas, convenhamos, tem umas que são demais!

Assim como a dor, o poder de suportar e a beleza, a mulher é essencial na busca pelo equilíbrio já que o homem, graças à genialidade Divina, não sente nada disso e nem precisa passar por máquinas de tortura disfarçadas de secadores e chapinhas, por exemplo.
Ainda assim, nem se atrevam a saírem feias de casa, isso seria o fim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E Então!!!